quarta-feira, 30 de novembro de 2016

Restauração da independência - 1 de dezembro




Restauração da Independência é a designação dada ao golpe de estado ocorrido a 1 de dezembro de 1640. Tudo começou em finais do séc. XVI: o rei de Portugal era D. Sebastião.  
Em 1578, D. Sebastião morreu na batalha de Alcácer-Quibir, no norte de África. Portugal ficou, assim, sem rei, pois D. Sebastião era muito novo e ainda não tinha filhos, não havia herdeiros diretos para a coroa portuguesa. Assim, quem subiu ao trono foi o Cardeal D. Henrique, que era tio-avô de D. Sebastião. Mas só reinou durante dois anos porque nem todos estavam de acordo com ele como novo rei.
Em 1580, nas Cortes de Tomar, Filipe II, rei de Espanha, foi escolhido como o novo rei de Portugal. A razão para a escolha foi simples: Filipe II era filho da infanta D. Isabel e também neto do rei português D. Manuel, por isso tinha direito ao trono.
Nesta altura, era frequente acontecerem casamentos entre pessoas das cortes de Portugal e Espanha, o que fazia com que houvesse espanhóis que pertenciam à família real portuguesa e portugueses que pertenciam à família real espanhola. 
Durante 60 anos, viveu-se em Portugal um período que ficou conhecido na História como "Domínio Filipino". Depois do reinado de Filipe II (I de Portugal), veio a governação de Filipe III (II de Portugal) e Filipe IV (III de Portugal). Estes reis governavam Portugal e Espanha ao mesmo tempo, como um só país. 
Os portugueses acabaram por revoltar-se contra esta situação e, no dia 1 de Dezembro de 1640, puseram fim ao reinado do rei espanhol num golpe palaciano (um golpe só para derrubar o rei e o seu governo. (http://www.junior.te.pt/)
As comemorações do 1º de Dezembro realizam-se no dia 1 de dezembro, e, por isso, é Feriado Nacional.

Os alunos do 8º ano e do 6º ano realizaram trabalhos de pesquisa sobre esta efeméride para realçar este evento histórico e dar a conhecer à comunidade escolar os diferentes intervenientes e acontecimentos da Restauração da Independência de Portugal.
Saber e aprender para "descodificar" o mundo em que vivemos!

Sem comentários: