sexta-feira, 23 de novembro de 2012

Dia Nacional da Cultura Científica festejado na BE

ÁGUA VIVA – experiências na BE

Os alunos do 8ºA e a professora Isabel Simões levaram o “laboratório” para a BE, para assinalar o Dia Nacional da Cultura Científica (24 de novembro).

A água foi o mote para algumas experiências e a curiosidade e entusiasmo dos alunos convidados não tardou em manifestar-se.

 

“Lágrima de preta “, António Gedeão

O poema “Lágrima de preta” foi apresentado pelos alunos de Educação Especial relacionando o tema da ciência, do método científico, os conhecimentos  e os afetos.
Mais uma  forma simpática de “dar voz à ciência”, homenageando o grande poeta da ciência António Gedeão,  no âmbito do Dia Nacional da Cultura Científica – 24 de novembro – data de nascimento de Rómulo Vasco da Gama de Carvalho, químico, professor de Físico-Química, investigador, divulgador da ciência e poeta  sob o pseudónimo de António Gedeão. 


Contributos da ciência
Nas aulas de História, os alunos do 9º ano, também assinalaram o Dia Nacional da Cultura Científica, dando “Voz à ciência”, com trabalhos de pesquisa sobre novos caminhos e avanços que a ciência tem vindo a originar e contributos de cientistas ao nível da medicina, alimentação, ciências humanas, transportes etc. Com eles, conseguimos, sem dúvida, melhorar a vida de todos nós.

Ciência poética
A ciência aliou-se à criatividade e ao “engenho” dos nossos alunos do 8ºA, 8ºB, 8ºF e 7ºG. Alguns conceitos, invenções científicas, novas tecnologias e outros componentes da ciência apareceram sob a forma de poema, “cantando” a ciência de uma forma original e divertida.
 Lê, agora, alguns poemas elaborados pelos alunos...


O vaivém espacial

O vaivém espacial
É um veículo especial,
Sobe, sobe sem parar
Para no espaço acabar.
Um novo mundo
Há lá fora,
Mas o vaivém
É que o explora.

Há muitos planetas
Que falta descobrir,
A voar no espaço
É que o vamos conseguir.

Com os astronautas a guiar
O universo explorar,
Planetas e astros
Vamos conquistar.

Pedro Pereira – 8º B

O telescópio

Tenho um telescópio
No meu quarto,
A partir dele
Consigo ver tantos planetas
Que até me farto.

Com ele aprendi muito,
Não há noite em que o descarte,
Foi a partir dele
Que descobri Marte.

O telescópio
É um objeto especial
Amplia, amplia, sem parar
Até os astros encontrar.

Diogo Ribeiro – 8º B


Cogumelo ardente


Com muitas explosões
Nós vamos morrer;
Se tudo continuar assim,
Vamos desaparecer.

Em forma de cogumelo ardente,
A explosão é recente…
Olho para o céu e fico doente,
Baixo os olhos, sinto-me impotente.

A explosão nuclear
Derrete o teu lar,
se estavas a dormir,
já não vais acordar.


João Ribeiro - 8º B


O Rádio


Esta é uma criação
Já um bocado antiga,
Tem de tudo um pouco
Até uma velha cantiga.

Em algumas estações,
Permanecem as adivinhas,
Enquanto que noutras
Existem mais piadinhas.

No geral, esta invenção
É para relaxar,
Ouvindo temas atuais,
Músicas que até fazem cantar.

Claro que este objeto
É o dito rádio,
Que até há nos carros e telemóveis,
Ou é mesmo o contrário?

Mariana Guerreiro – 8º B


A Ciência


A ciência é um conhecimento
Do nascer
Até ao Universo
Morrer.


A ciência é
O Universo
Contado em verso.

A ciência é o mar,
O luar
E também o ar
Que nos faz respirar.


Diogo Cunha – 8º F




quarta-feira, 14 de novembro de 2012

150º Aniversário da obra AMOR DE PERDIÇÃO


Amor de Perdição é o romance mais célebre de Camilo Castelo Branco, um dos principais autores do romantismo português, com a primeira publicação em 1862.

Ao longo de uma novela passional, o autor retrata em tom trágico as frustrações da busca da felicidade e do amor. Conta-nos a história amorosa de Simão Botelho e Teresa Albuquerque, um amor proibido, condenado pela rivalidade das respectivas famílias.

Teresa acaba num convento. Simão segue os impulsos do coração e envolve-se em peripécias várias, conduzindo-se a um fim trágico. 



Os livros de Camilo Castelo Branco existentes na nossa  biblioteca:
Versões integrais
 - Amor de Perdição.
- A Queda dum Anjo
- Memórias do Cárcere
- A Brasileira de Prazins
- Eusébio Macário
- Novelas do Minho
- O Retrato de Ricardina

Versões Adaptadas – Coleção de Clássicos da Literatura Portuguesa Contados às Crianças
 - Amor de Perdição
- A Brasileira de Prazins
- A Queda de um Anjo

Aqui fica o convite:
Lê uma obra de Camilo!Deixa-te surpreender!

 

segunda-feira, 5 de novembro de 2012

Dar voz à ciência


A BE  pretende estimular a divulgação da ciência na escola,  dando voz a uma série de atividades ligadas à ciência durante o mês de novembro.


sexta-feira, 2 de novembro de 2012

Leitura domiciliária - setembro/outubro; Desafios aLer +

Quantos mais livros melhor

A Biblioteca continua a apostar na leitura e os nossos leitores continuam a mostrar que gostam de ler.

"Ler muito é um dos caminhos para a originalidade; uma pessoa é tão mais original e peculiar quanto mais conhece o que disseram os outros"
                                                                                    (Miguel de Unamuno)