quarta-feira, 20 de janeiro de 2010

Faça lá um poema!


Faça Lá um Poema


Por ocasião da comemoração do Dia Mundial da Poesia 2010, que se realiza no CCB no dia 21 de Março, o Plano Nacional de Leitura e o Centro Cultural de Belém , numa iniciativa conjunta, lançam um desafio às escolas, convidando-as a participarem num Concurso de Poesia.

O Concurso Faça Lá um Poema procura incentivar o gosto pela leitura e escrita de poesia e destina-se a quatro níveis de ensino, desde o 1º Ciclo ao Ensino Secundário, e nele poderão participar quaisquer alunos de escolas públicas e privadas.

A nossa escola já está envolvida no projecto.
A imaginação está ao rubro...

A participação no concurso implica a inscrição em formulário próprio (enviado às escolas) que deverá ser enviado até dia 1 de Fevereiro de 2010.

A entrega de prémios terá lugar no CCB, em Lisboa, a 21 de Março de 2010 e será integrada no programa do Dia Mundial da Poesia.

quarta-feira, 13 de janeiro de 2010

Leitura Domiciliária - Total 1º Período


Parabéns aos alunos do 7º ano! Foram os que mais leram no 1º período e portanto os que mais livros requisitaram na BE!

TOP Leitores do 1º Período


Já em 1890 Eça de Queirós se queixava que "O país não lê nem quer ler. Quando muito aguenta um romance. Isto está, em todos os sentidos, cada vez mais baixo."
Nos dias de hoje a situação mantém-se. Fala-se sobretudo dos jovens que não lêem, que não gostam dos livros, que os "despacham" apenas por obrigações escolares.
Mas, há alunos na nossa escola que gostam de ler!
Daniel Pennac sublinha que "o verbo ler não suporta o imperativo". O gosto pela leitura e a curiosidade intelectual a este associado estão directamente relacionados com o sucesso ou insucesso escolar de que tanto se fala.
Bons leitores serão melhores alunos e cidadãos mais activos.
Como tal, parabéns a todos e continuação de bons momentos de leitura.

domingo, 10 de janeiro de 2010

INERTE! de Sílvia Félix 9ºE

Inerte!


Presa a um corpo paralisado,
A um coração gelado…
Agora tudo é um jogo,
Mas desconheço as regras
E a forma de jogar.
Não sei como me defender,
Não sei como atacar,
És tu quem lança os dados,
Só me resta esperar…
Enquanto a música perde a melodia
Tal como eu perco!
O sonho e a fantasia
Deixaram de fazer sentido,
Agora não tenho companhia,
Sou só eu…
Sem vontade,
Sem ritmo,
Sem felicidade,
Suspensa num mundo sem vida,
Repleto de insanidade.
«Ou serei eu que estou louca?»
E a dormência terminou.
Tudo fez sentido
Quando esta pergunta me aflorou.
O meu desejo é gritar,
Mas…
Grito sem nada pronunciar,
Ajo sem acção,
Como uma onda sem mar
E um sopro sem respiração.
Mesmo assim pensei:
«…talvez nem tudo esteja perdido
Como posso desistir sem tentar?»
Muito devagar, tentei acordar.
Abri os olhos,
Deixei a vida entrar
E recomecei a respirar…
Voltei a querer e a acreditar,
A readquirir a vontade própria,
Porque o importante é não desistir e lutar!